quarta-feira, 21 de julho de 2010

A manipulação do preconceito em prol do Estado

Governo do Paquistão contrata travestis para cobrar impostos



No Paquistão, país onde apenas 1% da população paga seus impostos, o governo tenta criar maneiras de cobrar os impostos dos ricos, mesmo a abastada classe política também não os pagando e nem declarando seus bens quando concorrem à cargos políticos. A maneira que o Paquistão inventou dessa vez foi a de contratar travestis para cobrarem impostos. A ideia é expor os devedores ao constrangimento para que eles paguem os impostos.

Um grupo de travestis a mando do governo paquistanês bate à porta dos devedores, gritam, batem palmas e cobram os impostos na frente de outras pessoas expondo o devedor. O governo usa o mesmo preconceito que coloca as travestis à margem da sociedade como uma forma de expor os devedores de impostos. Vitimas do preconceito da sociedade com o aval do Estado, sem empregos, sem direitos e vitimas contumazes da violência, muitas dessas travestis não conseguem emprego e para sobreviverem acabam se prostituindo. É lamentável ver um governo que além de institucionalizar o preconceito ainda o manipula, usando a própria falta de oportunidades desse grupo da população, que decorre exatamente da omissão do próprio Estado em relação aos seus direitos, para conseguirem seus fins.

É desumano o governo paquistanês ou qualquer outro, usar a própria ausência do Estado que deveria criar políticas públicas para essa parcela da população e ainda manipular o próprio preconceito a que são vítimas fazendo com que essas travestis não tenham outra escolha que não seja entre se prostituir ou aceitar esse tipo de humilhação que lhes garantem algum dinheiro para sobreviverem. E essa ideia preconceituosa tem surtido efeito para o Estado, pois alguns sonegadores para evitarem a visita constrangedora das travestis acabam pagando suas dívidas.

Na reportagem do Jornal The New York Times uma das travestis revela que junto com um grupo de colegas acabou indo parar no endereço de um desses ricos devedores, mas logo ficaram sabendo que se tratava da casa do próprio ministro da província responsável pela cobrança de impostos. Nesse dia, o grupo de travestis rapidamente deixou o local sem fazer o seu costumeiro espetáculo para envergonhar o devedor. É uma vergonha o governo do Paquistão usar a homofobia de Estado manipulando o preconceito para garantir receita cobrando dos ricos, sendo que a própria classe política abastada não paga seus impostos.

video
Vídeo do programa Estudio i do canal Globo News


*Homofobia de Estado:

Termo utilizado para se referir à postura do Estado, por meio da legislação, da omissão ou de atos de seus governantes ao promoverem discriminação ou incitarem o ódio, a hostilidade e reprovação dos homossexuais. Em maio de 2009, 80 países ainda criminalizavam a homossexualidade, sendo que em sete deles, a punição é a pena de morte.

*Termo retirado do MANUAL DE COMUNICAÇÃO LGBT. Disponível em http://homosapienssapiensbrazil.blogspot.com/2010/05/abglt-lanca-manual-de-comunicacao-lgbt.html

Como são tratados os homossexuais no Paquistão

video

Fontes: http://atwar.blogs.nytimes.com/2010/07/18/pakistan-hires-transgender-workers-to-shame-tax-delinquents/

2 comentários:

  1. lamentável usarem a mão de obra das travestis para esse fim ,em contra partida elas tem uma outra maneira de sobreviverem !
    deveriam no minimo então registra-las como funcionárias e que a abordagem (cobrança ) fosse feita de uma outra maneira sem expo-las ao ridiculo!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que coisa isso... Lamentável como bem disse a Fernanda. Mostra até onde vai a hipocrisia dessa gente. Interessante que o próprio ministro estava sonegando impostos pelo que eu entendi. Eles não cumprem com sua obrigações e exigem dos outros e pior, expondo os travestis à essa situação humilhante. Uma pena que isso aconteça e uma pena eles se sujeitarem a isso. Acredito que não têm outra escolha.

    Estava com muita saudade de você e dos amigos do yahoo. Que bom que o casamento homossexual foi legalizado na Argentina e que bom também que você se tornou titio kkk.
    Um superabraço bem apertado, meu queridíssimo amigo. Depois de quase 3 semanas sem entrar no seu blog estava sentindo um vazio enorme.
    Parabéns pelas coisas boas que estão acontecendo na sua vida; se tem alguém nesse mundo que merece que tudo de bom aconteça consigo é você.
    Bjos!

    Leandro Machado, 25 de julho de 2010.

    ResponderExcluir